paiN é acusada de explorar jogadores

paiN é acusada de explorar jogadores

 

— UPDATE —

05/12, a paiN emitiu um comunicado por meio do Twit Longer no qual se defende das acusações e alega estar tomando providências para com o site estrangeiro.

Leia a íntegra do comunicado:

“Olá, torcida. Estamos aqui para dar um comunicado a respeito da nossa equipe de DotA.

Escrevemos agora para nos defender de falsas acusações feitas por um blog estrangeiro por meio de uma matéria.

O blog afirma de forma equivocada e mal intencionada que exploramos nossos jogadores de DotA 2 financeiramente e ataca diretamente a nossa organização com informações falsas que receberam de fontes anônimas.

Temos diversas provas de que as alegações feitas não condizem com a realidade. Algumas inclusive beiram o absurdo. Já estamos tomando medidas para que a história seja esclarecida e providências sejam tomadas.

A paiN sempre foi a organização de esports da América Latina mais comprometida com crescimento do cenário de DotA 2 da região. Tais ações não condizem com nossa história, valores e nem com os nossos objetivos.”

— Notícia Original —

O cenário de Dota não vive sem um bom drama. No último desenvolvimento escabroso, o site Esports Heaven acusa a organização brasileira, paiN Gaming de explorar seus jogadores, cobrar taxas abusivas, não remunerar de acordo e ainda fiscalizar até os emails pessoais de cada jogador.

No texto, o site alega que os jogadores recebem entre 250 ~ 300 dólares por mês, mas tem clausulas de recisão de até 200x seus salários, impossibilitando que eles sejam comprados por outras equipes.

Outro dos fatos alegados pelo site é que a organização da paiN fica com 50% dos ganhos de cada competição, enquanto o padrão mundial seria de 10 a 15%, com o restante a ser dividido pelos jogadores.

Ainda mais preocupante é o fato de que, supostamente, os jogadores ainda não teriam recebido a maior parte de sua renda referente a participação em torneios. A organização da paiN alega que estes vencimentos não foram ainda transferidos para a equipe, mas os organizadores da BeyondTheSummit foram rápidos em clarificar que já haviam pago a equipe os valores referentes ao ano de 2018.

O site Esports Heaven tentou entrar em contato com a paiN, que ficou de se pronunciar mas ainda não o fez nas últimas 24 horas.


Com bons resultados nas últimas competições, seria uma pena ver a equipe envolvida em escândalos desta natureza. Os brasileiros estão começando a conquistar seu espaço no cenário internacional, mas se as informações do site forem verdadeiras, a equipe que tem trazido tanto destaque para nosso país pode não durar muito tempo.

Para ficar por dentro da situação, acompanhe a MidLane pelo Twitter e Facebook.

Playmakers fica com a vaga para o Bucharest Minor

Playmakers fica com a vaga para o Bucharest Minor

Artifact: Aprenda a vencer

Artifact: Aprenda a vencer